Retina POP

No liquidificador, a cultura POP

Justin Timberlake – FutureSex/LoveSounds *****

Antes de tudo um apelo. Dê férias para o Sgt. Peppers, Dark Side of the Moon, Thriller, Like a Prayer, The Bends, In Utero, … imagine que você renasceu musicalmente. De acordo? Pois agora coloque o FutureSex/LoveSounds pra tocar. Não tem como não gostar. Dando nomes aos bois. No ano passado, em meio a um marasmo no mainstream POP, Justin Timberlake lança o seu segundo albúm. Fruto de uma esperta parceria com o produtor Timbaland, o ex-Nsync provou que a afirmação “estou fazendo um novo Thriller” (ele é fã confesso de Jackson) não era um mero devaneio. Ao invés de copiar as fórmulas do (ex?) Rei do Pop, Timberlake sacou que era preciso captar o espirito do clássico de 82: o comprometimento com a diversão –e fez, para espanto de todos, com excelência.

Os singles “SexyBack“, “My Love” e “What Goes Around” cumprem bem a função de abre-alas. A primeira revisita alguma sonoridade perdida nos anos 80, uma especie de precursora da dance music que viria na década seguinte. “My Love” é genial por unir vertentes tão distintas: o hip hop, a soul music e o bate-estaca atual (o falsete é um charme a mais). A balada pop-grudenta “What Goes Around/Comes Around”usa uma improvável cítara como base para Justin (em uma letra bobinha) destilar suas frustrações amorosas. Uma tríade de canções certeiras para arrebatar seus ouvidos.Mas não para por aí.Um disco quando clássico, não se apoia somente em em seus hits, precisa de unidade musical. E Future Sex (em tempos de IPOD) se ouve de cabo a rabo.

Experimente ouvir a jóia “Damn Girl” e não sentir vontade de cantarolar no ônibus. Ou não achar “SummerLove” um “cover que não é cover mas é bom” de “The way you make feel”. “LoveStoned” é funk, é soul, é…um lampejo de criatividade ausente à anos no POP comercial. Reinventar a roda é um clichê válido ao ouvir “SexyLadies“: você nem se importa que é um cover descarado do Prince com produção requintada. Que Justin pode não passar de um farsante com bons contatos. Que falta “pique”nos seus shows. Justin é bem intencionado, é inteligente (o estágio para o novo disco da Madonna comprova isto) A dinastia POP clama por um novo Rei.

*Alex Kidd confessa que ouviu este disco centenas de vezes pra Ter certeza de que estava diante de um marco na cultura POP. Timberlake é o abre-alas da década (00) que demorou a engrenar. O rock está definitivamente perdido, com bandas que surgem e somem em um clique do mouse. Justin usou velhas técnicas com roupagem nova. Assumidamente comercial, mas com um ou outro lampejo criativo…ele aprendeu a fórmula!

3 Comentários»

  Ariane wrote @

não c omento no seu pq vc não comenta no meu

  Elaine wrote @

Ai, como essa menina é chorona…hehe
Eu adorei… (dispensava a pate que pede pra relevar o Sgt Peppers, mas a proposta faz bastante sentido!)
Gostei do gancho do início, do encadeamento rápido de idéias (a gente pára pra tomar fôlego, um tesão!)de tudo.
Pronto, olha aí… lirtos de baba.
Agora vou ser a sex simbol babona do sanatório.
Love you.
bj

  Marcos wrote @

Esse Cd do justin tá bem legal sem nada de Cry me a River rsrs(trauma)


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: